Magusto de S. Martinho na Universidade do Porto

A Reitoria da Universidade do Porto (U.Porto) vai receber um Magusto Internacional de S. Martinho no dia 13 de novembro, pelas 16:30 horas. O encontro é destinado, não só aos estudantes internacionais que estão a estudar na U.Porto ao abrigo de programas de mobilidade, por exemplo o Erasmus+, como também a todos os estudantes dos diferentes cursos do Ensino Superior desta instituição.

Além deste evento, no dia 11 de novembro, pelas 16:30 horas, no Pátio das Laranjeiras, será também realizado um Magusto para celebrar o dia de S. Martinho, na data apropriada (ver lenda no fim do artigo). A iniciativa é conduzida pela direção da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), com objetivo solidário para além de promover o convívio entre todos os membros da comunidade FEUP (docentes, técnicos, estudantes). Como tal, o valor de um euro cobrado por um cartucho de castanhas e um copo de jeropiga será revertido, na totalidade, para o Grupo de Ação Social do Porto (G.A.S. Porto), uma organização sem fins lucrativos, cuja sede se encontrar nas instalações da FEUP.

Dentro do universo FEUP, está previsto outro Magusto a partir das 17 horas, em frente à cantina da FEUP, desta vez organizado pelo CIVIL’in, cuja missão é integrar e acompanhar os novos estudantes do 1º ano do Mestrado Integrado de Engenharia Civil.

Outra opção para celebrar este dia pode ser o Magusto, igualmente realizado no dia 11 de novembro, a partir das 16:30 horas, no Pátio da Torre E, junto ao bar da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP). No entanto, as inscrições para este convívio, gratuito, organizado pelas direções das Faculdades de Arquitetura, Ciências e Letras orientado para estudantes, docentes, investigadores e técnicos destas três universidades já se encontram encerradas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Magusto e a Lenda de S. Martinho

A lenda de São Martinho dá conta de um episódio da vida do cavaleiro, destinado a seguir uma carreira militar já que foi convocado para o exército romano quando tinha quinze anos, que algures em novembro de 337 (século IV) “trouxe o verão ao outono”.

Reza a lenda que um cavaleiro gaulês, chamado Martinho, tentava regressar a casa quando encontrou a meio do caminho, durante uma tempestade, um mendigo que lhe pediu uma esmola. O cavaleiro, que não tinha mais nada consigo, retirou das costas o manto que o aquecia, cortou-o ao meio com a espada, e deu-o ao mendigo. Nesse momento, a tempestade desapareceu e um sol radioso começou a brilhar. O milagre ficou conhecido como “o verão de São Martinho”.

O famoso cavaleiro da história era um militar do exército romano que abandonou a guerra para se tornar num monge católico e praticar o bem. Quando deixou o seu ofício, no ano de 356, foi batizado e seguiu um percurso de orientação cristã por parte do Santo Hilário, bispo de Poitiers (na zona oeste da atual França), que o ordenou diácono e presbítero.

São Martinho foi um dos principais religiosos a espalhar a fé cristã na Gália (atual França) e tornou-se num dos santos mais populares da Europa! Foi ordenado bispo de Tours em 371 e fundou o Mosteiro de Marmoutier, na margem do rio Loire, onde vivia.

Foi a 11 de novembro de 397 que São Martinho foi sepultado na cidade francesa de Tours, motivo pelo qual esta é a data escolhida para celebrar o Dia de São Martinho.

Associado a este santo está a proteção a alfaiates, soldados e cavaleiros, pedintes e até aos produtores de vinho!

Em Portugal é tradição de realizar um grande magusto, ou seja, beber água-pé, que consiste na adição de água ao bagaço de uva e aguardente, e jeropiga, com castanhas assadas a servir de acompanhamento. Esta é também uma altura em que é provado o novo vinho.

Diz o ditado: “No dia de S. Martinho, prova o teu vinho.”

 

Diogo Metelo

Publicado a

Comentários fechados em Magusto de S. Martinho na Universidade do Porto