Reportagem Brant Bjork no CAVE45. Um deserto pautado pelo rei dos riffs. - Engenharia Rádio

Reportagem Brant Bjork no CAVE45. Um deserto pautado pelo rei dos riffs.

Quinta-feira à noite, no passado 12 de outubro, Brant Bjork, mítico artista do deserto e ex-integrante de Fu Manchu e Kyuss, voltou ao Porto para um concerto no CAVE45 na tour europeia do seu mais recente trabalho “Tao Of The Devil” (editado a 16 de setembro 2016 pela Napalm Records).

As portas abriram-se às 22 horas para, meia hora depois, os portuenses Ana Paris aquecerem o público para receber o lendário músico norte americano.

O relógio marcava 23 horas e 20 minutos quando se ouviram os primeiros riffs da guitarra de Brant Bjork. Envergava a sua Gibson Flying V e trazia vestido a farda de um tal de Lewis da força aérea norte americana. Todo o cenário estava pronto para um dos melhores concertos que há memória no estilo stoner rock.

A pequena sala de concertos do CAVE45 tornou-se num autêntico deserto, a temperatura subiu consideravelmente e ouvia-se a banda sonora característica dessas zonas do planeta despertando todos os estímulos sensoriais dos presentes e transportando-os para um estado hipnótico causados pelos riffs de Brant.

A acompanhá-lo esteve Sean Wheleer – “Desert Legend” – que participou num par de faixas, cantando lado a lado com Brant Bjork. Tocou faixas do seu novo disco, “Tao Of The Devil”, que não é consensual entre todos os seus fãs, como é o histórico “Jalamanta” (1999). Faixas de “Jalamanta” como “Low Desert Punk” ou “Automatic Fantastic” puseram o público mais fanático aos saltos.

No final houve tempo para fotografias com Brant Bjork porque este concerto merece ser repetido mas sobretudo recordado.

Fonte da fotografia de destaque: theobelisk.net

Publicado a

Comentários fechados em Reportagem Brant Bjork no CAVE45. Um deserto pautado pelo rei dos riffs.